Seqüestradores de avião sudanês pretendiam levar governador de Darfur

Cartum, 26 ago (EFE).- Os homens que sequestraram um avião sudanês com 95 pessoas a bordo, quando realizava o trajeto entre Niyala (no oeste do Sudão) e Cartum, pretendiam seqüestrar o governador da província de Darfur, Ali Mahmoud, que supostamente viajaria nesse vôo.

EFE |

Segundo fontes governamentais sudanesas, os seqüestradores, que levavam objetos cortantes, obrigaram o piloto a desviar de seu rumo meia hora depois da decolagem em direção ao Cairo e posteriormente ao aeroporto de Al-Kafra, situado no sudeste da Líbia, onde finalmente aterrisou.

Por enquanto, as autoridades líbias estão negociando com os seqüestradores, que aparentemente solicitaram uma permissão para viajar à França.

Por sua vez, a Autoridade de Aviação Civil do Sudão informou em comunicado divulgado pela televisão pública sudanesa que a aeronave decolou por volta das 17h30 (12h30 de Brasília), e que meia hora depois, o piloto foi obrigado a se desviar do Cairo.

Posteriormente, o avião seguiu para o aeroporto de Al-Kafra (sudoeste da Líbia), onde aterrissou às 19h40 (14h40 de Brasília).

A nota também informa que o avião, um Boeing 737, com 87 passageiros e 8 tripulantes, pertence à companhia aérea privada Sun Air.

Por sua vez, o chefe da Organização de Aviação Civil do Egito, Emad Salam, negou que o piloto da aeronave seqüestrada tenha se comunicado com alguma torre de controle ou tentado entrar no espaço aéreo egípcio com a finalidade de aterrissar no país.

Em março de 2007, a Polícia do Sudão deteve um cidadão sudanês que tentou seqüestrar um avião de passageiros sudaneses com 201 passageiros e 11 tripulantes, e que realizava um vôo entre Trípoli e Cartum.

O seqüestrador, identificado como Said Majluf, que portava uma faca, ordenou ao piloto que desviasse de sua rota e aterrissasse em Bangui, a capital da República Centro-Africana. EFE az/ab/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG