Toronto (Canadá), 20 abr (EFE).- O vice-presidente da companhia aérea CanJet, proprietária do avião sequestrado na Jamaica, disse hoje que seis tripulantes ainda são mantidos reféns dentro da aeronave retida no aeroporto de Montego Bay.

Em uma entrevista na localidade canadense de Halifax, Kent Woodside disse que os seis tripulantes aparentemente se encontram bem.

"Estamos aliviados porque todos os passageiros estão a salvo, assim como dois tripulantes. Nossa principal prioridade é libertar os demais tripulantes", afirmou Woodside.

Até agora, havia boatos de que cinco membros da tripulação permaneciam em poder do sequestrador, um jovem "perturbado mentalmente" que pediu para voar para Cuba, segundo as autoridades locais.

A Polícia mantém cercado o avião o aeroporto internacional de Sangster em Montego Bay e continua negociando com o sequestrador, que, mais cedo, libertou os passageiros.

Woodside afirmou também que não foi possível confirmar se o homem que sequestrou o avião seja "alguém de uma agência da mesma autoridade do aeroporto".

Além disso, destacou que a empresa pretende enviar outro avião ao aeroporto jamaicano para que os passageiros do voo 918 sigam viagem assim que o terminal aéreo reinicie as operações.

Segundo Woodside, a aeronave fará escala na localidade cubana de Santa Clara para recolher passageiros que deveriam ter retornado ao Canadá no avião sequestrado. EFE jcr/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.