O homem que despertou um alerta de sequestro em um avião da Turkish Airlines que voava para a Rússia na quarta-feira, foi detido quando o aparelho chegou a São Petersburgo, informou a agência de notícias russa Interfax. De acordo com autoridades, ele estava bêbado.

Acordo Ortográfico

Um funcionário da aviação turca informou que o homem passou um bilhete para o piloto, dizendo que tinha uma bomba junto ao corpo, e foi rendido pelos passageiros em seguida.

"O passageiro mandou um bilhete ao capitão, dizendo: 'leve-me para dentro (da cabine) ou vou explodir a bomba que tenho'", disse Temel Kotil, chefe-executivo da Turkish Airlines, à agência de notícias estatal Anatolian.

Como o piloto se recusou a abrir a porta, os passageiros do avião renderam o sequestrador, informou uma porta-voz da TAV, operadora do aeroporto.

Autoridades turcas o identificam como Yasa Rashidov, de nacionalidade uzbeque. Não foi encontrada nenhuma bomba ou arma com ele.

O avião, que tinha 164 passageiros - a maioria de turistas russos que voltavam de hotéis da região de Antalya - e 7 tripulantes, prosseguiu a viagem e pousou no horário previsto em São Petersburgo.

A cidade de Antalya, assim como a região em volta, é famosa entre turistas, principalmente russos, alemães, escandinavos e britânicos

Situação comum

Os sequestros de aviões são comuns na Turquia, onde operam vários grupos radicais (desde separatistas curdos até militantes de extrema esquerda). Vários sequestros terminaram bem nos últimos dois anos, sem mortos.

No ano passado, dois homens sequstraram um voo que vinha do Chipre para Istambul, mas se renderam e libertaram os reféns depois de forçar o avião a pousar no sul da Turquia.

Leia mais sobre sequestro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.