Moscou, 9 ago (EFE).- As forças do regime separatista da Abkházia entraram hoje no distrito fronteiriço de Gali, habitado por georgianos e controlado pelos capacetes azuis russos, uma zona considerada desmilitarizada.

Outras forças, segundo informou a agência russa "Interfax", estão concentradas nas imediações da zona desmilitarizada.

As forças russas de paz, instaladas na região, não impediram, como estabelece seu mandato, a entrada de tropas.

No entanto, navios da Marinha russa fecharam hoje a passagem para navios georgianos que se dirigiam em direção à costa da Abkházia.

Também continua a operação conjunta entre Abkhásia e Rússia para expulsar as forças georgianas do desfiladeiro de Kodori, habitado por georgianos e fiel ao Governo da Geórgia.

Por telefone, o ministro da Defesa da Abkházia, Merab Kishmaria, disse à Agência EFe que é uma "operação conjunta" com as tropas russas, mas se negou a precisar se são capacetes azuis ou forças regulares.

As posições georgianas em Kodori são bombardeadas por artilharia, aviões e foguetes.

Segundo dados oficiais, há até pouco os separatistas da Abkházia só dispunham de alguns aviões de treino de fabricação tcheca, e estavam armados com metralhadoras e bombas de fabricação caseira.

Ao longo do conflito pela secessão na Abkházia, de 1992 a 1995, as forças da região, apoiadas pela aviação e unidades regulares russas, não conseguiram vencer a resistência dos montanheses de Kodori.

Agora, no momento em que a Geórgia está envolvida no conflito da Ossétia do Sul, onde novamente enfrenta tropas regulares russas, as autoridades da Abkházia decidiram que chegou a hora de se apoderar do último território que segue fiel a Tbilisi e onde está o Governo considerado legítimo pelas autoridades georgianas. EFE mb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.