Sankt Pölten (Austria), 17 mar (EFE).- O julgamento de Josef Fritzl, o Monstro de Amstetten, acusado de trancar em um porão e violentar a filha durante 24 anos, poderia terminar na quinta-feira com a divulgação da sentença, um dia antes do esperado, se a sessão de hoje ocorrer conforme o previsto.

A confirmação é do porta-voz da Audiência de Sankt Pölten, Franz Cutka, que explicou que, na sessão de hoje, continuou a ser exibido o vídeo com o testemunho de Elisabeth Fritzl sobre sua vida e a dos sete filhos que concebeu com o pai no porão, onde foi trancada aos 18 anos.

O depoimento da vítima e as perguntas ao réu sobre o conteúdo do vídeo ocuparam o início do segundo dia do processo contra Fritzl, acusado de assassinato por omissão de socorro, escravidão e estupro, entre outros crimes.

Apesar de a data oficial para a conclusão do julgamento seja sexta-feira, Cutka ressaltou que "é realista" crer que a sentença saia já na quinta, "se o dia de hoje se desenrolar conforme o programado".

O porta-voz não quis definir se algum dos peritos chamados para depor já prestou testemunho. Entre esses especialistas está um neonatologista, que falará sobre a possível responsabilidade do austríaco na morte de um dos bebês que teve com Elisabeth.

De acordo com a vítima, Fritzl ignorou seus apelos de ajuda em relação aos problemas respiratórios mostrados pelo recém-nascido, que morreu dois dias e meio após o parto.

A acusação, da qual Fritzl se declarou inocente na segunda-feira, pode custar uma sentença de prisão perpétua.

Cutka também confirmou que, por enquanto, não está prevista a participação de novas testemunhas no julgamento, pois a esposa e os outros filhos do réu se recusaram a depor.

O veredicto de culpabilidade ou inocência será decidido por um júri de oito pessoas, quatro homens e quatro mulheres.

A sentença, que deve ser emitida no mesmo dia, será decidida pelos membros desse júri junto aos três juízes profissionais que conduzem o julgamento. EFE as/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.