Sensor com nanopartículas de ouro ajudará a detectar câncer de pulmão

(embargada até às 14h de Brasília deste domingo) Londres, 30 ago (EFE).- Uma equipe de pesquisadores desenvolveu um sensor que leva em seu interior nanopartículas de ouro e que distingue entre a respiração de uma pessoa que sofre de câncer de pulmão e outra que está saudável sem necessidade de um tratamento prévio, o que ajudará a detectar a doença.

EFE |

Assim assegura um estudo publicado pela revista "Nature Nanotechnology" e que foi realizado pelo professor universitário Hossam Haick, do Instituto de Tecnologia Techion-Israel, e o resto de sua equipe.

As provas atuais para medir os compostos orgânicos voláteis - gases químicos que contêm carbono e que estão relacionados com o câncer de pulmão - apresentam alguns problemas, porque são caras e não oferecem resultados num instante.

Em contraste, o sensor projetado por Haick e sua equipe é portátil e consiste em um aparelho com nanopartículas de ouro que responde ao entrar em contato com os compostos orgânicos voláteis que são relevantes no caso do câncer de pulmão.

A equipe israelense simulou uma respiração própria de um doente de câncer e outra de uma pessoa saudável misturando estes compostos, e as submeteu posteriormente ao sensor.

O aparelho distinguiu qual correspondia a um doente de câncer ao ser capaz de reconhecer as pautas de respiração que o caracterizam, segundo se explica na revista.

Com este sensor será possível diagnosticar câncer de pulmão através de uma tecnologia não invasiva, barata e portátil, segundo seus criadores. EFE otp/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG