Sensação de limpeza afeta julgamento moral, diz pesquisa

Pessoas que se sentem fisicamente limpas têm mais chances de escorregar no julgamento moral, segundo uma pesquisa publicada pela revista especializada Psychological Science, da Associação para a Ciência da Psicologia americana. Segundo o estudo, a noção de limpeza física reduz a severidade do julgamento significativamente, mostrando que a intuição, mais do que a razão, pode influenciar nossa percepção sobre o que é certo ou errado.

BBC Brasil |

A pesquisa foi realizada através de duas experiências com estudantes universitários. Na primeira, foi pedido a eles que completassem um exercício para formar frases com grupos de palavras.

Os estudantes que seriam mantidos "neutros" receberam apenas palavras neutras para formar as frases, mas para o outro grupo - que teria a sensação de "limpeza" - foram dadas palavras como "puro, limpo, lavado, imaculado, prisco".

Em seguida, foi pedido aos estudantes que avaliassem uma série de dilemas morais, entre eles ficar com dinheiro encontrado dentro de uma carteira, incluir falsas informações em um currículo profissional ou matar um sobrevivente terminal de um acidente aéreo para saciar a fome.

Na segunda experiência, os estudantes assistiram a um clipe "nojento" antes de avaliar os mesmos dilemas. Metade do grupo teve que lavar as mãos antes do teste.

As conclusões das duas experiências mostraram que os estudantes expostos à sensação cognitiva de limpeza exercitaram julgamento moral menos severo do que os outros.

Segundo a autora da pesquisa, Simone Schall, o resultado mostra que, no dia-a-dia, "quando exercitamos nosso julgamento moral, acreditamos estar tomando uma decisão consciente, racional, mas esta pesquisa mostra que somos, subconscientemente, influenciados por quão limpos ou 'puros' nos sentimos".

"Por exemplo, no caso de um membro do júri, ou em uma eleição - se o membro do júri tiver lavado as mãos antes de dar o veredicto, poderá julgar o crime com menos severidade."
"Ao mesmo tempo, alguém pode achar mais fácil 'fazer vista grossa' a uma má conduta política, se tiver feito algo que o fez se sentir limpo antes de votar", diz Schall.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG