Senegal propõe conferência internacional sobre Guiné-Bissau

Dacar, 5 mar (EFE).- O ministro das Relações Exteriores senegalês, Cheikh Tidiane Gadio, propôs hoje a realização de uma conferência internacional sobre a situação de Guiné-Bissau, após os assassinatos do presidente do país, João Bernardo Vieira, e do chefe do Estado-Maior do Exército, general Tagmé Na Wai, no dia 2.

EFE |

"É preciso realizar uma conferência internacional sobre os problemas de estabilidade, desenvolvimento e segurança de Guiné-Bissau", disse a uma rádio do Senegal.

Gadio está em Guiné-Bissau, onde lidera uma delegação da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (Cedeao), que tem o objetivo de ajudar a canalizar a crise.

O ministro senegalês ressaltou a importância da resolução urgente dos problemas do país, que há mais de uma década atravessa uma crise política, agravada atualmente pelo narcotráfico.

Além disso, Gadio garantiu que o Senegal está disposto a ser o anfitrião de uma eventual conferência.

"Não se pode permitir que os traficantes controlem a vida política de Guiné-Bissau", disse.

O Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Delito (Unodc) fez um alerta para o fato de Guiné-Bissau e toda a região da África Ocidental estar se transformando em um ponto de passagem de drogas vindas da América do Sul rumo à Europa.

Segundo o Unodc, Guiné-Bissau e Gana são os principais pontos de entrada da cocaína sul-americana. EFE st/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG