Senegal deve recuperar bases usadas pela França à meia-noite

Dacar, 3 abr (EFE).- O presidente do Senegal, Abdoulaye Wade, anunciou em mensagem à nação, na véspera da celebração do cinqüentenário da independência do Senegal, sua decisão de recuperar as bases militares instaladas no país.

EFE |

"Declaro solenemente que o Senegal recuperará a partir do dia 4 de abril às 0h todas as bases anteriormente detidas em nosso solo pela França e pretende exercer sua soberania baseada na presente declaração", disse Wade.

Ele pediu ao primeiro-ministro e ao chefe do Estado-Maior general do Exército que entabulem discussões com a parte francesa para determinar os prazos de liberação das bases.

No entanto, o presidente manifestou a vontade de seu país de manter um novo espaço de colaboração com a antiga potência colonizadora.

A França mantém três bases militares na capital senegalesa com um total de 1,2 mil soldados, baseadas em um acordo de defesa assinado em 1974.

Por ocasião de uma visita do ministro francês de Defesa, Edgar Morin, França e Senegal anunciaram que chegaram a um acordo com vistas ao fechamento das bases militares no Senegal a fim de dar início a uma nova era de cooperação militar.

Mas a França ainda deve manter uma força de 300 soldados no Senegal, conforme um acordo a ser acertado entre as nações.

Alguns comentaristas destacam o caráter surpreendente da declaração de Wade que analisam como um sinal de divergências profundas entre o Senegal e a França no que se refere às negociações sobre o fechamento das bases.

O ministro francês de Interior, Brice Hortefeux, chegou a Dacar para participar da comemoração, no domingo, dos 50 anos da independência do Senegal. EFE st/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG