Sendero Luminoso convoca crianças para guerrilha

A guerilha maoísta remanescente do Sendero Luminoso, hoje aliada aos narcotraficantes e produtores de coca no sudeste peruano, recruta e arma crianças de 10 a 13 anos, segundo imagens mostradas pela televisão local.

AFP |

Uma reportagem da Frecuencia Latina TV divulgada domingo à noite apresentou pelo menos 17 menores, com até 13 anos, no máximo, em formação militar na selva amazônica, bradando com o punho levantado: "Viva o marxismo-leninismo, viva o maoísmo e a revolução proletária socialista mundial!"

A reportagem mostra também, pela primeira vez, o rosto de Victor Quispe Palomino, ou "Camarada José", um sobrevivente da liderança do Sendero Luminoso, do conflito dos anos 1980-2000 contra os governos sucessivos do Peru, que deixou 70.000 mortos e desaparecidos.

"José", de cerca de 50 anos, é considerado o cérebro da dupla emboscada que matou 15 militares em abril deste ano, em Senabamba, a cerca de 600 km de Lima, no mais mortífero ataque da guerrilha em 10 anos.

Soldados que sobreviveram ao ataque haviam denunciado a presença de mulheres e crianças armadas entre os agressores, principalmente meninos obrigados por mulheres a matar militares feridos.

As imagens foram motivo, nesta segunda-feira, de uma onda de indignação no Peru. A Associação dos Direitos do Homem (Aprodeh) exigiu do Estado "recuperar e reabilitar essas crianças sem estigmatizá-las, porque não são responsáveis, mas vítimas do recrutamento forçado e do doutrinamento".

No documentário, o "Camarada José" se apresenta como chefe do Comitê Regional do Partido Comunista do Peru, e afirma que a guerrilha entrou numa "nova fase", sem ligação com o Sendero de Abimael Guzman, seu líder histórico preso em 1992.

rm/pbl/sd/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG