Senadores republicanos se opõem a Bush em lei para veteranos do Iraque

Senadores republicanos se opuseram nesta quinta-feira ao presidente americano, George W. Bush, ao somar seus votos aos da maioria democrata, para votar uma lei que oferece apoio financeiro aos veteranos das guerras do Iraque e do Afeganistão que desejarem retomar os estudos.

AFP |

O Senado adotou um novo pacote de emergência de 165 bilhões de dólares para financiar a guerra, embora tenha rejeitado uma emenda que contemplava um calendário de retirada das tropas, ao qual a Casa Branca se opunha.

Em contrapartida, adotou-se uma medida que oferece aos soldados que voltarem de Iraque e Afeganistão uma verba para retomarem os estudos, dentro de um pacote orçamentário que inclui inúmeros gastos e ao qual Bush prometeu opor seu veto.

Apesar disso, a medida foi aprovada por 75 votos contra 22, uma maioria que permite escapar do veto presidencial.

"É uma vitória histórica para os veteranos dos Estados Unidos", disse o líder da maioria democrata do Senado, Harry Reid.

Os pré-candidatos democratas para eleição presidencial de novembro, a senadora Hillary Clinton e o senador Barack Obama, interromperam sua campanha para participar da votação, enquanto seu adversário republicano John McCain, que não apoiava a lei, não compareceu.

O projeto de lei ainda deve ser aprovado pela Câmara de Representantes antes de ser enviado para a Casa Branca. Se Bush apresentar seu veto, será realizada uma nova votação no Congresso, sendo necessária uma maioria de dois terços em ambas as Casas para sua aprovação.

col/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG