Londres, 18 ago (EFE).- Edward Kennedy, John Kerry e outros cinco senadores americanos escreveram ao ministro da Justiça da Escócia pedindo que não ponha em liberdade o líbio condenado pelo atentado terrorista de Lockerbie.

O ministro Kenny MacAskill deve decidir nas próximas duas semanas sobre Abdelbaset Ali Mohammed Al-Megrahi, que sofre de um câncer terminal.

MacAskill estuda a possibilidade de soltar Megrahi, de 57 anos, por razões humanitárias ou permitir pelo menos que cumpra o resto da pena em seu país natal, como pediu o Governo da Líbia.

Na carta, sobre a qual informa hoje a "BBC", os sete senadores americanos qualificam o atentado de 1988 contra um avião da Pan Am que sobrevoava a cidade escocesa de Lockerbie de "horrível ação terrorista internacional".

No atentado, morreram 270 pessoas, 189 delas de nacionalidade americana, entre passageiros do avião e moradores de Lockerbie.

"Sabemos que o Governo escocês compartilha nosso compromisso, e o do mundo, de apoio à justiça e oposição ao terrorismo. Por isso, pedimos que garanta que (Megrahi) cumpra na Escócia o resto de sua condenação", escrevem os senadores.

A própria secretária de Estado americana, Hillary Clinton, ligou também para o ministro da Justiça para insistir no pedido para que o líbio siga em uma prisão escocesa. EFE jr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.