Senadora colombiana nega vínculo com as Farc

Bogotá - A senadora opositora colombiana Piedad Córdoba negou hoje qualquer ligação com guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), e acusou o Governo de criar uma cortina de fumaça para ocultar o escândalo dos vínculos de políticos governistas com paramilitares de direita.

EFE |

Córdoba aparece como uma suposta aliada das Farc em um computador que pertencia a "Raúl Reyes", então segundo homem na hierarquia da guerrilha quando foi assassinado em 1º de março em uma operação militar em solo equatoriano, segundo fontes oficiais.

De acordo com as mensagens eletrônicas armazenadas no computador do guerrilheiro, a congressista, que aparece como "Teodora", mantém contatos com as Farc desde 2003, disseram a "Rádio Caracol" e o site do jornal "El Tiempo", que citaram fontes oficiais.

"É uma cortina de fumaça do ministro da Defesa (Juan Manuel Santos) para esconder esse escândalo tão impressionante da 'parapolítica'", disse a senadora ao telejornal "CM&".

"Raúl reis", cujo nome verdadeiro era Luis Edgar Devia, morreu junto com outras 25 pessoas em um bombardeio de tropas colombianas em um acampamento ilegal das Farc em território equatoriano.

A Corte Suprema de Justiça já pediu ao Ministério da Defesa que envie todas as informações contidas no computador para avaliar a abertura de investigações.

Leia mais sobre: Farc

    Leia tudo sobre: farc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG