Senadora colombiana nega intervenção contra libertação de Betancourt

A senadora colombiana Piedad Córdoba, ex-mediadora do plano de troca de reféns por guerrilheiros das Farc presos, negou nesta segunda-feira que tenha pedido ao grupo rebelde para manter a franco-colombiana Ingrid Betancourt no cativeiro.

AFP |

Córdoba chamou de "montagem" os supostos e-mails encontrados no computador do número dois das Farc, Raúl Reyes, que revelariam sua posição contrária à libertação de Betancourt, em poder da guerrilha desde 23 de fevereiro de 2002.

"Apenas estas almas perversas, estes corações obscuros, podem fazer este tipo de montagem, escrever este tipo de coisa", disse a congressista opositora.

Córdoba e o presidente venezuelano, Hugo Chávez, mediaram a troca de 39 reféns das Farc, incluindo Betancourt, por cerca de 500 rebeldes presos, até que o governo colombiano suspendesse tal intervenção.

A última edição da revista colombiana Semana traz um e-mail, supostamente encontrado no computador de Reyes, no qual um comandante das Farc chamado 'Cesar' relata ao líder guerrilheiro detalhes de uma reunião que manteve com Córdoba no dia 11 de novembro.

"Ela acredita que será preciso soltar alguém para entregar a Chávez na fronteira, mas não deve ser Ingrid, já que os demais não importam", diz Cesar.

Raúl Reyes foi morto por um comando do Exército colombiano no dia 1º de março, em uma operação no território do Equador, quando os militares apreenderam seu computador.

axm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG