Senadora colombiana garante liberação rápida de reféns das Farc

BOGOTÁ (Reuters) - A senadora colombiana Piedad Córdoba estimou nesta terça-feira que em um mês poderia ser realizada a libertação de 24 integrantes das Forças Armadas sequestrados pelas Farc, mas condicionou o início e o êxito da operação a um encontro com o presidente Alvaro Uribe. Córdoba, que na semana passada recebeu autorização de Uribe para mediar a liberação dos reféns políticos em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), disse que em uma etapa inicial poderiam ser libertados quatro ou cinco militares e policiais, incluindo o sub-oficial do Exército, Pablo Emilio Moncayo.

Reuters |

"Creio que poderíamos avançar em um grupo, de uns quatro ou cinco em poder das Farc e avançar até a troca", afirmou Córdoba em coletiva de imprensa.

"Na medida em que se avança em uma postura clara com relação à troca, garanto ao país que em um mês teremos todo mundo fora", disse.

Córdoba considerou difícil realizar a liberação de maneira simultânea com todos os sequestrados, como condicionou Uribe ao apoiar a mediação da senadora, que pertence ao opositor Partido Liberal e é forte crítica do governo.

Até agora, as Farc, consideradas pelos Estados Unidos e União Europeia como uma organização terrorista, não se pronunciaram sobre a proposta de Uribe.

As Farc condicionam a entrega de todos os sequestrados a um acordo humanitário no qual sejam trocados reféns por guerrilheiros presos nas cadeias do país.

(Reportagem de Nelson Bocanegra)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG