Assunção, 22 mai (EFE).- O Senado do Paraguai suspendeu hoje por 60 dias o senador Juan Carlos Galaverna por ter reconhecido publicamente que fez parte de uma fraude nas eleições internas realizadas pelo Partido Colorado em 1992.

Galaverna foi sancionado também com a perda dos salários equivalentes a dois meses de trabalho.

O legislador reconheceu recentemente ter feito parte de um grupo que cometeu fraude eleitoral nas eleições internas do Partido Colorado em 1992, em favor de Juan Carlos Wasmosy, que governou o Paraguai entre 1993 e 1998, e em detrimento de Luis María Argaña, assassinado em 23 de março de 1999.

Galaverna fez essa confissão durante uma entrevista concedida à "Rádio Ñandutí", por ocasião da campanha eleitoral para as últimas eleições presidenciais paraguaias, ocorridas em 20 de abril, vencidas pelo candidato opositor Fernando Lugo. EFE lb/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.