Senador que já cobriu guerras como jornalista busca Presidência paquistanesa

Mushahid Hussain, candidato da opositora Liga Muçulmana do Paquistão-Quaid (PML-Q) à Presidência do Paquistão, é um homem multifacetado, que cobriu guerras como jornalista, pertenceu ao corpo diplomático e foi professor e ministro, desempenhando atualmente o cargo de senador.

EFE |



Hussain é secretário-geral do partido que sustentou o regime de Pervez Musharraf, a quem agora espera suceder, e preside o Comitê de Assuntos Exteriores do Senado paquistanês.

Nascido em uma família de militares de Sialkot (província do Punjab, leste) em 1952, Hussain se formou na Escola de Serviço Exterior da Universidade americana de Georgetown e voltou ao Paquistão para trabalhar como professor.

Em outubro de 1979, foi expulso de seu posto no departamento de Relações Internacionais da Universidade do Punjab pelo regime do general Mohamad Zia-ul-Haq, como punição por seu ativismo político, de acordo com sua biografia oficial.

Fez então carreira como jornalista, tornando-se, aos 29 anos, diretor da publicação paquistanesa editada em inglês "The Muslim".

Na década de 1980, cobriu conflitos como a invasão soviética do Afeganistão ou a guerra entre Iraque e Irã.

Em 1997, o então primeiro-ministro Nawaz Sharif o nomeou titular da pasta da Informação, cargo que possuiu durante dois anos. Como porta-voz do Governo, Hussain defendeu a conversão do Paquistão em potência nuclear em 1998.

Quando Musharraf derrubou Sharif do poder por meio de um golpe de Estado em outubro de 1999, Hussain foi preso. Passou 440 dias recluso. Curiosamente, depois desse período tornou-se grande aliado de Musharraf e passou a fazer parte da legenda que daria apoio ao mandato do general.

Em declarações à Agência Efe, Hussain elogiou a "frieza (de Musharraf) para tomar decisões" e considerou que foi o general foi "vítima de suas próprias políticas liberais".

"Musharraf não cometeu nenhum erro unindo-se aos EUA na guerra contra o terrorismo. A História julgará seu legado", completou.

Eleito deputado em 1997 e senador nas últimas eleições para a Câmara Alta, em 2003, pela PML-Q, o novamente candidato se apresentou à imprensa como "um líder que acredita no futuro" e que "busca a harmonia".

Hussain afirma ser "o candidato mais bem avaliado pelas pesquisas de opinião" e, consciente de sua fama como bom orador, insistiu na necessidade de realização de um debate na TV com seu adversário do governamental Partido Popular (PPP), Asif Ali Zardari, favorito à Presidência.

O candidato da PML-Q é autor de três livros sobre política e Governo e tem o bom-humor como uma de suas características. Reside em Islamabad, é casado com uma professora e tem um filho que está estudando em Nova York. EFE igb/fr

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG