Senador mais antigo do Congresso dos EUA morre aos 92 anos

Robert Byrd, de 92 anos, enfrentou vários problemas de saúde nos últimos anos e foi internado três vezes em 2009

EFE |

O senador mais antigo do Congresso americano, o democrata Robert Byrd, morreu nesta segunda-feira, aos 92 anos, informou a imprensa local.

Byrd morreu no hospital Inova, em Fairfax, no estado americano da Virgínia, perto de Washington, durante a madrugada, segundo a imprensa, que cita um comunicado do escritório do senador.

© AP
Senador democrata Robert Byrd, em foto de maio de 2010

O porta-voz de Byrd, Jesse Jacobs, revelou no domingo que o senador tinha sido hospitalizado no final da semana passada com sintomas de desidratação, mas avaliações médicas posteriores determinaram um quadro médico mais severo.

Byrd enfrentou vários problemas de saúde nos últimos anos e foi internado três vezes em 2009.

Mais antigo do Congresso

Em novembro de 2009, Robert Byrd se tornou oficialmente o líder mais antigo da história do Congresso dos Estados Unidos, depois de completar 20.774 dias de serviço, em seus quase 57 anos de carreira política.

Byrd, que atuou durante os mandatos de 12 presidentes americanos e se reelegeu nove vezes no Senado, testemunhou os maiores eventos da história do país, como a Guerra Fria e o colapso da União Soviética. Ele apoiou a Guerra do Vietnã e se opôs à do Iraque.

O congressista chegou ao Senado em 1959, depois de ocupar uma cadeira na Câmara de Representantes entre 1952 e 1958.

Como antigo simpatizante do grupo Ku Klux Klan, Byrd se opôs a uma lei de direitos civis em 1964 e à confirmação de Thurgood Marshall como o primeiro juiz negro da Suprema Corte americana. No entanto, no final dos anos 70, apoiou a criação de um monumento em homenagem ao líder negro Martin Luther King.

    Leia tudo sobre: Estados UnidosCongresso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG