Senador Graham, amigo de McCain, é o piadista da campanha

Por Steve Holland WASHINGTON (Reuters) - Em uma campanha que busca motivos para rir, grande parte das piadas surgidas dentro do grupo que viaja com o candidato republicano à Presidência dos EUA, John McCain, partem do senador Lindsey Graham, amigo íntimo de McCain.

Reuters |

Já há algum tempo, Graham vem realizando o pronunciamento imediatamente anterior ao de McCain nos comícios realizados em Estados decisivos, aquecendo a platéia.

E o senador eleito pelo Estado da Carolina do Sul costuma sair-se com tiradas como esta: "Ela (a mulher de McCain) é classuda, é bonita, é inteligente e é dona de uma distribuidora de cervejas. Para um cara da Marinha, John McCain tirou a sorte grande."

Em Durango (Colorado), em um evento realizado em um campo de futebol americano, Graham comentou a própria falta de aptidão nos esportes quando garoto.

"Deixem-me contar isto a vocês. Eu joguei futebol americano na escola durante quatro anos -- esta é a primeira vez que piso no gramado", afirmou.

E quando a platéia saudou-o em Zanesville (Ohio), o senador disse: "Eu não sabia que eu era uma figura de tanto peso em Ohio. É... eu engordei uns 10 quilos nesta campanha. Estou ficando cada vez mais pesado."

Graham vem conseguindo ficar ao lado de McCain por tanto tempo nos dias que antecedem a eleição de 4 de novembro porque, na campanha que faz para tentar ganhar um novo mandato de seis anos como senador, enfrenta um fraco adversário democrata, Bob Conley.

Então, ao invés de fazer campanha para si mesmo na Carolina do Sul, Graham ficou ao lado de McCain nos comícios realizados na última semana no Colorado, no Novo México, em Iowa e na Carolina do Norte.

Cindy McCain descreve Graham como o melhor amigo de McCain. E o candidato, em outras oportunidades, já apresentou o companheiro como "aquele pequeno ignorante" e ridicularizou-o por causa de seu sotaque sulista.

"Ele é um brincalhão", afirmou Nicolle Wallace, assessora de McCain. "Ele incentiva McCain com suas atuações nos comícios e com seu temperamento."

Em uma campanha que é basicamente uma briga de família entre três dos cem membros do Senado norte-americano -- McCain, do Arizona, contra os democratas Barack Obama, de Illinois, e Joe Biden, de Delaware --, Graham vem se divertindo ao disparar contra os adversários da bancada oposta.

O amigo de McCain gosta em especial de provocar "Joe the Biden" (um trocadilho como nome do senador, significando algo como "Joe, o resistente") devido à tendência deste em falar demais, metendo-se em problemas. Recentemente, Biden disse que Obama enfrentaria uma crise internacional logo no início de sua Presidência, o que forneceu munição para os republicanos.

"Ele é a máquina de fazer barulho que continua a nos fornecer material", disse Graham. "Continue assim, Joe!."

E a respeito de Obama, diz o senador: "Vocês viram o livro dele: 'A Audácia da Esperança'? Ele tem uma sequência no prelo: 'Os Momentos em que Resisti à Esquerda'. É um livrinho bem curto."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG