Bogotá, 1 ago (EFE).- A Corte Suprema de Justiça (CSJ) da Colômbia condenou hoje a sete anos de prisão o senador Luis Eduardo Vives por vínculos com paramilitares e alteração de resultados eleitorais, informaram fontes judiciais.

O CSJ declarou Vives culpado pela formalização de alianças com grupos paramilitares de seu departamento (estado) natal, Magdalena (norte), com o objetivo de obter benefícios políticos.

O senador vinha sendo acusado de manter ligações com paramilitares das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC, de extrema direita), em Magdalena.

Assim como Vives, quase 70 parlamentares colombianos são acusados de vínculos com paramilitares no escândalo conhecido como "parapolítica".

A metade desses congressistas, muitos dos quais renunciaram a seus cargos no Parlamento, está detida atualmente. EFE rrm/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.