Senador dos EUA se reúne com junta de Myanmar

Por Aung Hla Tun YANGON (Reuters) - O senador Jim Webb disse neste domingo que pediu a Myanmar que liberte a líder oposicionista Aung San Suu Kyi e permita a ela participar da política local, durante negociações que garantiram a libertação de um norte-americano preso por visitá-la.

Reuters |

O senador do Partido Democrata chegou a Bangcoc, capital da Tailândia, com John Yettaw, cuja visita à casa de Suu Kyi em maio levou à renovação da detenção dela após autoridades dizerem que o encontro violava os termos da sua prisão domiciliar.

Webb se reuniu com o líder da junta, Than Shwe, na remota nova capital do país, Naypyidaw, no sábado, e depois voou para Yangon para se reunir com Suu Kyi.

Suu Kyi foi condenada na semana passada a mais 18 meses de prisão domiciliar e a ação de Yettaw teria dado à junta um pretexto para manter Suu Kyi fora da política depois das eleições previstas para o ano que vem. Webb disse que propôs a discussão do tema.

"Espero que conforme os meses passem, eles comecem a olhar isso," afirmou. "Com a avaliação do mundo exterior, julgando seu governo muito por conta do tratamento a Aung San Suu Kyi, é vantagem para eles que ela possa participar do processo político."

"O que disse aos líderes de Myanmar é que acredito que será impossível para o resto do mundo crer que as eleições foram livres e justas se ela não for libertada."

Yettaw não estava na entrevista coletiva. Ele foi imediatamente para o hospital depois de pousar em Bangcoc, onde saiu do avião para um veículo que o esperava com algumas autoridades. Passou vários dias hospitalizado neste mês em Yangon.

Yettaw foi condenado a sete anos de trabalhos forçados por três acusações, incluindo violação do código de imigração.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG