Senador dos EUA ameaça vetar candidato a embaixador no Brasil (caso etanol)

O influente senador republicano Charles Grassley, procedente do Estado agrícola de Iowa, grande produtor de milho, advertiu nesta terça-feira que poderá atrasar a confirmação, no Senado, do nome do futuro embaixador americano no Brasil, Thomas Shannon, escolhido pelo presidente Barack Obama, devido a seu apoio presumível à eliminação das tarifas sobre as importações de etanol.

AFP |

"Como senador e candidato presidencial, o presidente Obama defende a manutenção das tarifas sobre a compra de etanol", disse Chales Grassley.

"Agora, a pessoa designada pelo presidente como embaixador no Brasil diz que a supressão da tarifa será 'benéfica'. É importante saber se o governo mudou de posição antes que a nomeação siga seu curso".

Grassley, membro da comissão de Finanças do Senado, afirmou que vai recorrer ao regulamento que permite atrasar a votação de confirmação do nome do diplomata de carreira Thomas Shannon.

O governo do Brasil espera que Washington levante a tarifa imposta, o que representaria um maior acesso de suas exportações de etanol ao mercado americano. Iowa é o principal produtor americano de milho, planta a partir da qual se pode fabricar esta alternativa para a gasolina.

A votação acontecerá ainda nesta terça-feira.

Em teoria, os democratas contam com os 60 votos necessários para contra-atacar o bloqueio à nomeação.

ok/mac/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG