Senador democrata americano anuncia câncer, mas tentará reeleição

Washington, 31 jul (EFE).- O senador democrata americano Christopher Dodd confirmou hoje que tem câncer de próstata e passará por uma cirurgia no mês que vem, mas deve se candidatar à reeleição em 2010.

EFE |

"Me sinto bem, sairei bem disto. Detectaram o câncer cedo", disse Dodd, durante um encontro com jornalistas em seu escritório em Hartford, capital do estado americano de Connecticut.

Dodd, de 65 anos, explicou que os médicos confirmaram o diagnóstico após um exame anual e uma biópsia no mês passado.

Seguindo as recomendações médicas, disse que se submeterá a uma cirurgia para a remoção do tumor na próstata no mês que vem, no centro médico Memorial Sloan-Kettering, em Nova York, pouco depois do recesso legislativo que começa no dia 7 de agosto.

Acompanhado de sua esposa, Jackie, o também ex-candidato presidencial democrata reiterou várias vezes que se sente bem e que confia que sairá "bem disto".

"Isto é algo comum. Se é para ter câncer, os médicos me disseram que este é o tipo que avança mais lentamente e é bem tratável", assegurou Dodd, ao destacar que, após seu diagnóstico, desenvolveu um conhecimento "enciclopédico" sobre a doença.

Segundo Dodd, um de cada seis homens nos EUA desenvolverá a doença em algum momento de sua vida e que, por isso, recomendou uma revisão anual para detectá-lo e tratá-lo o mais cedo possível.

Além disso, Dodd afirmou que pensa em manter sua agenda normal na semana que vem e, sobre seus planos para o futuro, assegurou que se candidatará à reeleição pela quinta vez, em novembro de 2010.

"Vou me candidatar à reeleição", afirmou Dodd, presidente do Comitê Bancário do Senado e eleito em 1980 para a Casa, após ter sido membro da Câmara de Representantes desde 1974.

Dodd, um dos mais ativos negociadores da reforma do sistema de saúde dos EUA, aproveitou para reforçar a urgência de que o Congresso aprove uma reforma, apesar de ter reconhecido que é um assunto "controverso e difícil".

Apesar dos impedimentos nas negociações sobre como conseguir a cobertura universal de todos os americanos e como financiá-la, Dodd manifestou confiança em que o Congresso alcançará um acordo sobre um projeto de lei de reforma, que será submetido a votação depois do recesso. EFE mp/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG