Senado japonês aprova moção de censura contra primeiro-ministro

Tóquio, 14 jun (EFE).- O Senado japonês, controlado pela oposição, aprovou hoje uma moção de censura não vinculativa contra o primeiro-ministro do país, Taro Aso, dois dias depois de a coalizão governamental ter sido derrotada nas eleições locais em Tóquio.

EFE |

Com a aprovação desta moção de censura, a oposição claramente se posiciona para bloquear os projetos de lei pendentes na Dieta (Parlamento japonês) até o fim do período de sessões.

O mais importante é o que permitiria às Forças de Autodefesa, o Exército japonês, realizar inspeções em navios norte-coreanos suspeitos de violar o embargo armamentista imposto pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas em resolução após testes nucleares do regime comunista.

Apesar de este projeto ter sido aprovado pela maioria da coalizão governante do Partido Liberal-Democrata (PLD) e do Novo Komeito na Câmara Baixa, será previsivelmente bloqueado no Senado.

Esta é a segunda moção de censura aprovada pelo Senado japonês, controlado pela oposição. Em junho de 2008, a Câmara alta passou um texto similar contra o ex-primeiro-ministro do país, Yasuo Fukuda, que renunciou três meses depois e foi substituído por Aso.

Os partidos da oposição apresentaram esta moção de censura ontem junto a outra de confiança na Câmara Baixa, a qual foi derrubada pela maioria governamental mais cedo hoje.

Os dois textos foram apresentados ontem, um dia depois da derrota da coalizão governamental do Partido Liberal-Democrata (PLD) e do Novo Komeito nas eleições locais para a Assembleia de Tóquio, e são uma tentativa de forçar o primeiro-ministro a convocar eleições gerais.

Aso anunciou na noite desta segunda-feira que dissolverá a Câmara Baixa a partir do próximo dia 21 e que o Japão realizará eleições gerais no dia 30 de agosto. EFE icr-jmr/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG