Senado italiano votará amanhã lei que proíbe eutanásia

ROMA - Foi adiada para amanhã a votação no Senado do projeto de lei que o governo italiano se apressou a apresentar para evitar a morte de Eluana Englaro, que vive em estado vegetativo e a quem foi suspensa a alimentação.

Redação com agências internacionais |

A sessão no Senado começará às 8h30 locais (5h30 de Brasília), segundo informou hoje o porta-voz dos senadores do partido governamental Povo da Liberdade, Maurizio Gasparri, depois da reunião mantida hoje com os responsáveis dos demais grupos parlamentares.

O governo de Silvio Berlusconi espera aprovar em tempo recorde este projeto de lei antes que "seja demais tarde" e os médicos declarem que as condições físicas de Englaro, de 38 anos e em estado vegetativo desde 1992, são irreversíveis após a suspensão da alimentação.

Após a votação no Senado, o texto passará à Câmara dos Deputados.

Mesmo se o projeto de lei passar pelas duas Câmaras, porém, ele ainda precisará da assinatura do presidente da República, Giorgio Napolitano, que já se manifestou contrário.

Alimentação suspensa

Eluana, em coma vegetativo por um acidente de carro sofrido em 1992, foi levada na última terça-feira para uma clínica de Udine (nordeste). Uma equipe médica especial começou o fim progressivo de sua alimentação, na sexta de manhã.

Dois médicos citados por esse jornal consideraram que "o processo pode ser irreversível" no prazo de "três a cinco dias".

O decreto-lei do governo Berlusconi foi transformado em projeto de lei na sexta à noite, e sua análise começará no Senado, nesta segunda-feira, antes de seguir para a Câmara dos Deputados.

Leia mais sobre: Eluana Englaro e eutanásia

    Leia tudo sobre: eutanásia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG