Roma, 10 fev (EFE).- O Senado italiano aprovou hoje com 164 votos a favor, 100 contra e uma abstenção a moção do partido governamental que obriga a alimentar e hidratar as pessoas que não puderem fazer isso por si mesmas, informou a imprensa italiana.

Esta moção, apresentada pelo partido Povo da Liberdade, do primeiro-ministro Silvio Berlusconi, ainda precisa passar por um processo parlamentar para ser aprovada.

O texto compromete o Governo a garantir a hidratação e a alimentação a quem estiver em uma situação na qual não possa fazer isso só, à espera de uma aprovação legislativa completa sobre o fim da vida.

Além disso, o Senado rejeitou com 109 votos a favor, 151 contrários e 14 abstenções a moção do opositor Partido Democrata, que pedia que a alimentação e a hidratação fossem aplicadas apenas se o interessado não pediu expressamente em seu testamento biológico que sejam interrompidas.

O Senado planejava discutir ontem uma longa série de emendas e estas moções em uma sessão noturna durante a qual morreu Eluana Englaro, após 17 anos em estado vegetativo.

O médico pessoal da italiana afirmou ontem que ela morreu por causa de uma crise inesperada, mas muitas pessoas, entre elas as de alguns políticos, afirmaram desde então na imprensa italiana que a morte de Eluana é um caso de eutanásia. EFE fab/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.