Senado italiano aprova lei que endurece imigração

O Senado da Itália aprovou nesta quarta-feira legislação de combate ao crime que a igreja e a oposição esquerdista do país consideram discriminatória contra imigrantes. As propostas, que são parte das promessas eleitorais de combate ao crime de Silvio Berlusconi, que assumiu o cargo de primeiro-ministro em abril, vão permitir que as autoridades detenham imigrantes ilegais por até 18 meses sem julgamento.

BBC Brasil |

Anteriormente o limite era de 60 dias.

Se condenados posteriormente, os imigrantes ilegais podem receber penas de até quatro anos de prisão ao invés de uma ordem de deportação.

Imóveis alugados por imigrantes ilegais agora podem ser confiscados e as sentenças impostas a imigrantes condenados por crimes podem ser até um terço mais longas do que as impostas a italianos.

As penas para motoristas ao volate após consumir bebidas alcoólicas ou entorpecentes também aumentaram.

A nova legislação, endossada na semana passada pela Câmara dos Deputados, foi aprovada nesta quarta-feira pelo Senado por 161 votos a 120. Oito senadores se abstiveram de votar.

Berlusconi conseguiu também aprovar legislação que dará imunidade a processos aos ocupantes dos quatro principais cargos do governo italiano - primeiro-ministro, presidente, e presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG