O Senado dos Estados Unidos determinou nesta quarta-feira que a Coreia do Norte representa ameaça para seus vizinhos e ordenou a Washington que reconduza o país à lista de regimes terroristas.

Por 66 votos contra 31, os legisladores pediram ao presidente americano, Barack Obama, que entregue um relatório em 30 dias detalhando as atividades de Pyongyang desde que o país foi retirado da lista de Estados que apóiam o terrorismo, em junho de 2008.

O relatório deve "apresentar evidências críveis" de que a Coreia do Norte apoiou atos ou grupos terroristas, além de examinar a proliferação nuclear norte-coreana e "fundamentar a efetividade" de retornar o país à lista negra de regimes terroristas.

Mais cedo, o comandante das forças americanas na região Ásia-Pacífico, Almirante Timothy Keating, afirmou que seu país está pronto para enfrentar uma crise no caso de renúncia do dirigente norte-coreano, Kim Jong-Il, cujo estado de saúde é objeto de especulações.

"Não acredito que uma renúncia de Kim Jong-Il signifique uma crise na segurança nacional. Espero que não, mas se este for o caso, estaremos prontos", declarou o almirante à imprensa.

Estados Unidos e seus aliados na região preparam "um leque de possibilidades" para enfrentar uma mudança na direção do regime de Pyongyang, destacou o Almirante.

"Vamos dispor de um leque de possibilidades com nossos aliados da região em nível global, se for necessário".

O Exército americano mantém milhares de soldados na Coreia do Sul desde o armistício que acabou com a guerra da Coreia, em 1953.

Kim Jong-Il, de 67 anos, tem câncer e sua perspectiva de vida seria inferior a cinco anos.

ok/LR/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.