Senado dos EUA convoca audiência sobre segurança no transporte aéreo

Washington, 28 dez (EFE).- O Comitê de Segurança Nacional do Senado dos Estados Unidos anunciou hoje a convocação de uma audiência para janeiro de 2010 sobre as falhas de segurança que permitiram o embarque de um nigeriano com explosivos em um avião no dia de Natal.

EFE |

No último dia 25, Umar Farouk Abdulmutallab tentou explodir um avião da companhia Northwest que viajava de Amsterdã para Detroit, no estado americano do Michigan, com 277 pessoas a bordo. Ele está sob custódia federal.

O presidente do comitê, senador independente Joe Lieberman, e a republicana de maior categoria no órgão, senadora Susan Collins, explicaram em um comunicado conjunto que o objetivo da audiência, que ainda não tem data definida, é examinar as "vulnerabilidades" do sistema de vigilância aérea.

Ambos destacaram a necessidade de saber por que os nomes dos passageiros que viajam para os EUA não são devidamente cruzados com a base de dados do país sobre supostos terroristas.

Os congressistas também querem entender por que motivo apenas um reduzido número de passageiros passa pelo escaneamento completo do corpo - segundo eles, uma medida do tipo teria ajudado a detectar os explosivos que Abdulmutallab carregava.

"Vejo Umar Farouk Abdulmutallab como um terrorista que escapou de nossas defesas de segurança nacional e que teria matado centenas de pessoas se os explosivos que tentou detonar tivessem funcionado", disse Lieberman.

"Tivemos muita sorte desta vez, mas talvez não tenhamos tanta sorte em uma próxima vez. Por isso, temos que fortalecer nossas defesas", acrescentou.

Collins concordou com Lieberman e disse que, se desta vez cerca de 300 pessoas se salvaram de um ataque terrorista, a segurança da nação "não pode depender da boa sorte, da coragem dos outros passageiros ou dos erros de nossos inimigos".

Para a senadora, as estratégias de segurança dos EUA passam pela troca de dados de inteligência e de ações que possam detectar e interromper qualquer ataque terrorista antes que ocorra.

Segundo Collins, a audiência servirá para examinar os motivos pelos quais as autoridades não cancelaram o visto de Abdulmutallab, já que se sabia que o nigeriano tinha ligações com o extremismo islâmico.

Em declarações à rede de televisão "NBC", a secretária de Segurança Nacional americana, Janet Napolitano, reconheceu hoje que a vigilância da companhia aérea Northwest "falhou miseravelmente".

O nome de Abdulmutallab fazia parte de uma lista de suspeitos por vínculos com extremistas, mas Napolitano disse que a informação sobre o nigeriano não era suficientemente específica ou grave para impedir seu embarque em um avião comercial. EFE mp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG