Por Richard Cowan WASHINGTON (Reuters) - Apesar da oposição de parte da bancada republicana, o Senado norte-americano aprovou na quarta-feira uma lei que destina 48 bilhões de dólares adicionais para o combate mundial à Aids nos próximos cinco anos.

Após semanas de obstrução provocada por republicanos, a medida foi aprovada por 80 votos a 16. A bancada minoritária discordava do montante destinado ao projeto e de outros artigos da lei.

'Em 2003, o presidente [George W.] Bush e este Congresso lançaram o maior programa de saúde pública da história do mundo. Ele está salvando vidas, milhões delas', disse o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, o democrata Joseph Bidden, que apresentou o projeto que ampliava esse programa.

A Câmara aprovou a sua versão da lei em 2 de abril. Agora, ambas as Casas terão de conciliar as diferenças nos projetos, o que deve acontecer em duas semanas. Em seguida, o texto será enviado à sanção do presidente Bush.

A Casa Branca havia solicitado 30 bilhões de dólares adicionais num prazo de cinco anos, mas já disse que aceitará a verba maior.

Defensores da medida esperam que ela incentive outros países ricos a também ampliarem suas verbas para o combate mundial à Aids.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.