Senado confirma que Cheney ordenou que CIA escondesse programa antiterrorista

Washington, 12 jul (EFE).- A presidente do Comissão de Inteligência do Senado dos Estados Unidos, a democrata Dianne Feinstein, confirmou hoje que o ex-vice-presidente Dick Cheney ordenou a CIA (agência de inteligência americana) a não informar ao Congresso sobre um programa antiterrorista secreto.

EFE |

A legisladora revelou, em entrevista ao canal de televisão "Fox News", que o atual diretor da agência, Leon Panetta, se reuniu com alguns membros do Congresso em 24 de junho e descreveu o programa, sobre o qual só se sabe publicamente de sua existência.

Panetta afirmou nesse encontro que "Cheney tinha ordenado que não se informasse ao Congresso" sobre esse projeto antiterrorista, que ele interrompeu quando tomou as rédeas da CIA, após ser designado pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Feinstein disse que a decisão de esconder o programa "é um grande problema", porque "se afastou da lei".

O jornal "The New York Times" revelou o caso no sábado, em um artigo publicado em seu site, baseado em entrevistas com duas fontes anônimas.

Segundo o jornal, Panetta soube da existência do programa em 23 de junho, um dia antes de sua reunião com Feinstein e com outros legisladores de alta categoria.

Assim como Feinstein, outros legisladores americanos reclamaram hoje da decisão de Cheney, que manteve o programa em sigilo durante oito anos.

A senadora democrata Debbie Stabenow disse à "CNN" que o ex-vice-presidente "prejudica a credibilidade da CIA".

O senador republicano Judd Gregg reconheceu à mesma rede de televisão que "a informação devia ser compartilhada" com o Congresso. EFE cma/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG