Senado argentino aprova nome de titular do BC por 1 voto

Buenos Aires, 14 abr (EFE).- O Senado da Argentina aprovou hoje por apenas um voto a designação da economista Mercedes Marcó del Pont como titular do Banco Central, cargo para o qual foi nomeada em fevereiro passado pela presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner.

EFE |

A Casa aprovou a designação de Marcó del Pont por 35 votos a favor, 34 contra e uma abstenção, a do ex-presidente e senador opositor Carlos Menem, que disse ter um "alto conceito" sobre a economista.

A oposição tentava desde o início de março rejeitar o nome de Marcó del Pont a para o comando do Banco Central, mas até hoje não tinha podido pôr a discussão em pauta por falta de quórum.

Hoje, compareceu a senadora governista Adriana Bortolozzi. A congressista disse que, apesar de estar "só" e ter "medo", queria que o Senado funcionasse de uma vez por todas.

Com o quórum atingido, os outros senadores governistas se viram obrigados a comparecer para participar do debate.

No entanto, quando se dava como certo que a oposição contava com os votos necessários para rejeitar a nomeação de Marcó del Pont, houve surpresas na hora da votação.

A economista, que assumiu a Presidência da autoridade monetária em 4 de fevereiro, tinha dito que deixaria o cargo se o Senado rejeitasse sua nomeação.

Próxima ao Governo de Cristina e ex-presidente do estatal Banco de la Nación, Marcó del Ponto assumiu o Banco Central argentino no lugar de Martín Redrado, destituído do cargo após se negar a permitir o uso de reservas monetárias para o pagamento de dívidas soberanas.

A oposição questionou a decisão de Marcó del Pont de girar US$ 4,382 bilhões em reservas ao Tesouro para o pagamento de dívidas a credores privados em 1º de março, sem o sinal verde de uma lei do Parlamento e no momento em que a questão do uso de reservas estava sob análise da Justiça.

"Os antecedentes de Mercedes Marcó del Pont, sua capacitação e sua experiência, a habilitam para dirigir o Banco Central, mas o problema está em sua conduta", afirmou o líder dos senadores da opositora União Cívica Radical, Gerardo Morales.

Em defesa de Marcó del Pont, o chefe do bloco governista, Miguel Ángel Pichetto, sustentou que a economista é "uma funcionária de uma grande trajetória" e que "pela primeira vez o Banco Central vai ter uma presidente de perfil desenvolvimentista". EFE nk/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG