Senado americano aprova novo mandato para presidente do Fed

Depois de dias de expectativa e incertezas, o Senado americano aprovou nesta quinta-feira a permanência de Ben Bernanke à frente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos). Bernanke precisava de maioria simples de 51 votos (são cem assentos no Senado) para ser reconduzido ao cargo.

BBC Brasil |

Ele recebeu 70 votos favoráveis e 30 contra - a menor margem de vitória em décadas.

O último presidente do Fed a ter uma vitória tão apertada no Senado havia sido Paul Volcker, em 1983, que foi reconduzido ao cargo por 84 votos contra 16.

O atual mandato de Bernanke termina neste domingo. Com a decisão, ele permanecerá mais quatro anos na presidência do Fed.

Críticas
Bernanke assumiu o comando do banco central americano em 2006, depois de 18 anos de gestão de Alan Greenspan.

Seus críticos afirmam que ele não fez o suficiente para evitar a crise econômica. Ele também foi criticado por ter apoiado o resgate aos grandes bancos.

Muitos americanos estão cada vez mais descontentes com a situação econômica e com o dinheiro gasto para salvar os grandes bancos, em um momento em que a taxa de desemprego no país chega a 10% e o déficit no orçamento é calculado em US$ 1,35 trilhão.

Para alguns analistas, Bernanke acabou se tornando um símbolo das medidas polêmicas adotadas durante a crise econômica.

No entanto, muitos defensores de Bernanke afirmam que, sem as medidas adotadas por ele durante a fase mais aguda da crise, a economia americana estaria bem pior atualmente.

Dúvida
Nos últimos dias, com a derrota histórica do Partido Democrata (do presidente Barack Obama) na eleição para uma vaga no Senado por Massachusetts, a aprovação de Bernanke foi colocada em dúvida.

Rumores de que ele não receberia a aprovação do Senado causaram preocupação nos mercados.

A confirmação do nome de Bernanke ocorreu depois de um extenso trabalho da Casa Branca para convencer senadores indecisos a votarem a favor.

Sua recondução ao cargo é considerada por analistas uma vitória do presidente Barack Obama, que destacou o papel de Bernanke na recuperação da economia americana.

"O presidente Bernanke vai continuar a desempenhar um papel vital ao guiar a economia da nação", disse o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, após a decisão do Senado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG