O Senado dos Estados Unidos aprovou a criação de um fundo de 300 bilhões de dólares (R$ 474 bilhões) para resgatar o mercado de hipotecas no país. O pacote foi desenhado para ajudar centenas de milhares de mutuários americanos a refinanciarem suas dívidas com taxas fixas, garantidas pelo governo.

A medida também prevê apoio para duas das maiores empresas de hipotecas dos Estados Unidos, Freddie Mac e Fannie Mae, que foram fortemente atingidas pelo desaquecimento do mercado imobiliário americano.

A necessidade de um plano para salvar as duas empresas deu um caráter de urgência ao pacote de medidas.

Manter a Freddie Mac e a Fannie Mae em operações é visto como crucial para o mercado imobiliário americano, já que juntas elas são responsáveis pela metade de todas as hipotecas dos Estados Unidos.

O presidente Bush deve sancionar a proposta na próxima semana e transformá-la em lei.

Crise do mercado imobiliário
Mais de um milhão de americanos perderam suas casas na pior crise habitacional desde a Grande Depressão - uma forte recessão que atingiu os Estados Unidos na década de 30.

As áreas mais afetadas pela crise, que começou no passado, foram Nevada, Califórnia, Flórida e Arizona, que tiveram as maiores valorizações nos anos de alta do mercado imobiliário nos Estados Unidos e contavam com o maior número de hipotecas de risco, oferecidas àqueles com uma história de crédito duvidosa.

Os críticos da nova lei alegam que ela vai custar bilhões de dólares aos contribuintes americanos e questionam a decisão de oferecer ajuda a mutuários irresponsáveis e financiadores inescrupulosos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.