O Senado americano adotou na noite de quinta-feira um projeto de lei sobre a igualdade de salários que reverte uma decisão da Suprema Corte de 2007 que impunha um limite de tempo durante o qual um trabalhador podia processar seu empregador por discriminação.

O texto, adotado por 61 votos contra 36, facilitará os processos judiciais em caso de discriminação sobre salários com respeito à idade, sexo, raça, religião ou país de origem. Um texto similar havia sido vetado pelo ex-presidente George W. Bush, durante a legislatura anterior do Congresso.

A lei de justa remuneração ("Lilly Ledbetter Fair Pay Act") reverte a decisão que limitava o prazo para processar por discriminação um empregador a 180 dias a partir da data em que o trabalhar recebeu seu salário.

O projeto foi assim chamado por Lilly Ledbetter, uma ex-empregada de uma fábrica da Goodyear no Alabama que descobriu que seu salário era inferior ao de seus colegas homens.

A Câmara de Representantes havia aprovado em 9 de janeiro o projeto de lei junto a outros textos sobre direito trabalhista. Mas após sua adoção no Senado, deve novamente ser votado na Câmara baixa.

O texto deverá ser, em seguida, enviado à Casa Branca para sua promulgação pelo presidente Barack Obama, no que seria a primeira legislação de seu governo sobre relações trabalhistas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.