Senado adia nomeação de secretária de Obama por impostos

WASHINGTON - Um comitê do Senado dos EUA adiou abruptamente na quinta-feira uma votação para confirmar a indicada do presidente Barack Obama para o cargo de secretária do Trabalho, Hilda Solis, depois de notícias de que seu marido pode ter problemas com o fisco.

Redação com agências internacionais |

Um comunicado conjunto da liderança democrata no Comitê de Trabalho do Senado e um importante republicano não mencionou a reportagem do jornal "USA Today", mas disse que o adiamento era destinado a "conceder aos membros mais tempo para revisar a documentação submetida em apoio" à indicada.

O "USA Today" noticiou, na quinta-feira, que o marido de Solis pagou cerca de US$ 6.400 na quarta-feira para pagar uma dívida tributária de sua empresa pendente por não menos que 16 anos.

Nesta semana, dois altos funcionários indicados por Obama desistiram da nomeação devido a problemas com o fisco. Tom Daschle desistiu do cargo de Secretário de Saúde, enquanto Nancy Killefer, renunciou à nomeação para ser supervisora do setor da Presidência responsável pela fiscalização de gastos públicos.

O secretário do Tesouro, Timothy Geithner, também se envolveu em um escândalo semelhante. Ele foi acusado de dever US$ 34 mil ao fisco americano. Mas Geithner não desistiu do cargo, se desculpou e sua indicação acabou sendo aprovada durante uma sabatina no Senado americano.

Leia também:


Leia mais sobre:
Barack Obama

    Leia tudo sobre: barack obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG