Senado abre caminho para adotar reforma da saúde de Obama

O Senado dos Estados Unidos aprovou na madrugada desta segunda-feira, em primeira votação, o fim dos debates sobre a reforma do sistema de saúde do presidente Barack Obama, abrindo assim o caminho para a adoção do texto até o Natal.

AFP |

Os senadores aprovaram por 60 votos a 40 o fim dos debates sobre o texto que contém o compromisso negociado nas últimas semana pela maioria democrata.

A primeira votação, concluída às 1H20 locais (4H20 de Brasília), mostra que o líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, dispõe - sem o apoio dos republicanos - dos 60 votos, de um total de 100, necessários para a aprovação do projeto de lei.

O Senado conta com 58 democratas, dois independentes e 40 republicanos.

Outras duas votações de procedimento para encerrar definitivamente os debates sobre a reforma estão previstos para terça-feira e quarta-feira.

A votação final pode aconter então na quinta-feira à noite, véspera do Natal.

O texto do Senado pretende levar atendimento médico a 31 dos 36 milhões de americanos que não têm acesso ao mesmo, além de reduzir os custos da saúde e melhorar a qualidade do serviço. Assim, 94% dos americanos com menos de 65 anos ficarão protegidos.

Segundo o Escritório de Orçamento do Congresso (CBO), o projeto de lei reduziria o déficit americano em 132 bilhões de dólares em 10 anos, principalmente com a economia nos dispositivos como o seguro contra doenças para os idosos (Medicare).

Em 7 de novembro, a Câmara de Representantes aprovou a própria versão da reforma. Uma vez que o Senado adote o próprio texto, deverá sofrer uma fusão com o da Câmara.

Leia mais sobre: reforma da saúde

    Leia tudo sobre: estados unidossaúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG