Sem-terras ocupam sedes do Incra em cinco estados

Rio de Janeiro, 21 jul (EFE) - Centenas de militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam hoje as sedes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em São Paulo, Maranhão, Ceará, Paraíba e Alagoas. As ocupações têm como objetivo pressionar o Governo a considerar o plano de reforma agrária elaborado pelo movimento. Em São Paulo, cerca de 400 militantes do MST ocuparam a sede do Instituto, enquanto na Paraíba o número chegou a 800, de acordo com o site da organização. Os números de ocupantes no Ceará e no Maranhão ainda não foram divulgados. Em João Pessoa (PB), o MST exigiu o assentamento de mais de 2.600 famílias que atualmente vivem em acampamentos, além de investimento publico para crédito rural e infra-estrutura nas áreas assentadas.

EFE |

Enquanto isso, em Alagoas, cerca de 800 manifestantes ocuparam a sede do Incra. Outras 80 famílias do movimento ocuparam, no estado, a Fazenda Carolina, no município de Teotônio Vilela.

Segundo o grupo, o terreno continua abandonado ou arrendado a usinas.

Já em São Paulo, o movimento protestou pelo fato de 700 famílias favorecidas pela reforma agrária não terem tido acesso à infra-estrutura necessária para poder sobreviver da agricultura em pequena escala.

Os porta-vozes do grupo em São Luís ameaçaram permanecer no local até que um representante nacional do Incra compareça para negociar os projetos de reforma agrária na região.

Segundo um comunicado divulgado hoje pelo MST para justificar as novas ocupações, as atuais políticas compensatórias do Governo não podem ser interpretadas como uma solução ao problema da concentração das terras e à falta de áreas para os pequenos agricultores. EFE jrt/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG