Tirofijo e Reyes futuro das Farc é incerto - Mundo - iG" /

Sem Tirofijo e Reyes futuro das Farc é incerto

Bogotá, 24 mai (EFE).- A cúpula das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) sofreu este ano os piores golpes de sua história com as mortes de seu líder máximo e fundador, conhecido como Tirofijo, e de seu porta-voz internacional e número dois no comando, Raúl Reyes, nos últimos três meses.

EFE |

Durante o dia, divulgou-se a notícia de que o ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, havia revelado à revista "Semana" que Pedro Antonio Marín, conhecido como "Tirofijo" ou "Manuel Marulanda Vélez", morreu no dia 26 de março, segundo uma informação de uma fonte fidedigna.

O fato, no entanto, só foi confirmado no final da tarde pelo almirante René Moreno, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Militares da Colômbia.

Continuam assim as mortes, capturas e entregas mais importantes dos últimos anos na lista das Farc, a organização guerrilheira mais antiga e numerosa da América Latina com mais de quatro décadas de existência e 17.000 integrantes.

- 24 de maio 2008: Santos diz possuir informação fidedigna da morte de "Marulanda", que teria acontecido em 26 de março de 2008 em condições ainda a serem esclarecidas.

Segundo o ministro, "nessas datas aconteceram três bombardeios fortes aonde se acreditava estar 'Tirofijo'. A guerrilha atribuiu a morte a um infarto. Não temos provas nem de um nem de outro", declarou.

- 18 de maio 2008: "Karina", como era conhecida Nelly Ávila Moreno, comandante da frente 47 das Farc, se entregou no departamento de Antioquia perante o Departamento Administrativo de Segurança (DAS) e de tropas militares.

A única mulher na história das Farc com cargo de comandante, enfrentava seis ordens de prisão por homicídio, terrorismo, rebelião, seqüestro extorsivo e dano a bem alheio. Ela é acusada de seqüestrar e assassinar Alberto Uribe, pai do presidente Álvaro Uribe.

- 26 de março 2008: Suposta morte de "Tirofijo", de 78 anos e considerado o guerrilheiro ativo "mais velho do mundo", por quem o Governo colombiano oferecia uma recompensa de 5 bilhões de pesos (US$ 2,8 milhões).

O líder guerrilheiro, que em 1949 iniciou seu envolvimento com as armas, fundou as Farc em 1966. Sua figura se tornou familiar pelos diálogos de paz com o Governo de Andrés Pastrana entre 1999 e 2002, nos quais sua presença foi notória.

"Marulanda", quem aparentemente sofria de câncer de próstata e que em numerosas ocasiões foi dado como morto, enfrentava mais de uma centena de ordens de prisão por crimes de terrorismo, homicídio, seqüestro extorsivo e homicídio com fins terroristas, entre outros.

- 7 de março 2008: "Ivan Ríos", como era conhecido Manuel Jesús Muñoz ou José Juvenal Velandia, membro do comando central das Farc, morreu assassinado por seu próprio chefe de segurança, Pedro Pablo Montoya Cortés, conhecido como "Rojas", que entregou ao Exército a mão direita cortada do rebelde e um computador como prova do crime.

- 1 de março 2008: Em uma incursão militar colombiana a um acampamento das Farc no Equador foi morto o "número dois" dessa guerrilha, "Raúl Reyes", que desempenhou um papel-chave no fracassado processo de paz de 1999-2002.

Luis Édgar Devia foi o primeiro membro do Secretariado (comando central) das Farc a cair em uma ação militar, na qual faleceram outras 25 pessoas.

- 25 de outubro de 2007: "Martín Caballero" ou Gustavo Rueda Díaz, chefe das Farc no litoral caribenho do país, foi abatido por militares junto com outros 19 guerrilheiros, nos Montes de María, no departamento de Bolívar (norte).

"Caballero", encarregado da frente 37 e que militou por mais de 25 anos nas Farc, foi responsável pelo seqüestro do agora chanceler Fernando Araújo, que esteve seqüestrado durante seis anos até 31 de dezembro do ano passado, quando conseguiu escapar.

Também era acusado de tentar atentar em 2000 contra o então líder dos Estados Unidos, Bill Clinton e de ter assassinado 218 membros das Forças Armadas e 420 civis.

1º de setembro de 2007: O guerrilheiro Tomás Medina Caracas, conhecido como "El Negro Acacio", responsável pelo narcotráfico das Farc, foi abatido pelo Exército colombiano na região de Vichada (leste).

Medina Caracas, chefe da Frente 16 das Farc e que estava reclamado para extradição por juízes dos EUA, era considerado o mentor do manejo de fundos obtidos pela guerrilha com o tráfico de cocaína com destino à cúpula do grupo e à compra de armas.

"El Negro Acacio" tinha pendentes pelo menos 17 ordens de captura e uma circular de detenção internacional emitida pela Interpol.

15 de junho de 2007: O guerrilheiro Milton Sierra, conhecido como "Jota Jota", chefe da frente urbana Manuel Cepeda das Farc na cidade de Cali, foi morto em combate quando se deslocava em um barco no rio Calambre, no departamento de Valle del Cauca.

Sierra era acusado de ser um dos guerrilheiros que tomaram a sede da Assembléia de Valle del Cauca em 11 de abril de 2002, operação na qual seqüestraram 12 deputados regionais, dos quais 11 foram assassinados em 18 de junho de 2007.

O guerrilheiro também tinha 16 ordens de captura e pelo menos 60 assassinatos são atribuídos a ele.

17 de fevereiro de 2006: Giovanny David Santamaría, conhecido como "Rubén" e "Popeye" e que segundo fontes militares participou do seqüestro e da morte do governador de Antioquia, Juan Guillermo Gaviria e do ex-ministro da Defesa Gilberto Echeverri, morreu em combates com o Exército no município de Cañasgordas (Antioquia), no noroeste da Colômbia.

Os dois políticos foram assassinados em 5 de maio de 2003, mais de um ano após terem sido seqüestrados, junto com nove militares durante uma fracassada operação militar para resgatá-los em uma zona rural situada entre Cañasgordas e Urrao.

- 15 de dezembro de 2004: Capturam na cidade de Ibagué (sudoeste) Erminso Cabrera Cuevas, conhecido como "Mincho", quem em 20 de setembro de 2007 foi extraditado aos EUA, onde enfrenta um processo por narcotráfico.

O rebelde era o chefe financeiro da frente 14 das Farc, que atua nas selvas do sul da Colômbia, e as autoridades lhe atribuem o envio de mais de dez toneladas de cocaína por mês aos EUA e a outros países.

- 10 de fevereiro de 2004: Nayibe Rojas Valderrama, conhecida como "Sonia" que militou durante 14 anos nas Farc, é detida e em 10 de março de 2005 extraditada por narcotráfico aos EUA, onde cumpre uma condenação de quase 17 anos de prisão.

- 2 de janeiro de 2004: Ovidio Ricardo Palmeira Pineda, conhecido como "Simón Trinidad", membro do secretariado e chefe de finanças das Farc, é capturado em Quito (Equador), transferido para a Colômbia em janeiro de 2005 e extraditado aos EUA em 31 de dezembro deste ano.

"Trinidad", de 57 anos, foi condenado em 28 de janeiro de 2007 a 60 anos de prisão por conspirar para o seqüestro dos americanos Keith Stansell, Thomas Howes e Marc Gonsalvez, ocorrido no sul da Colômbia em 2003.

O líder rebelde foi comandante do Bloco Caribe e um dos negociadores das Farc no fracassado processo de paz de 1999-2002.

cpy/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG