Sem luz e voos, Washington enfrenta nevasca histórica

WASHINGTON - Pelo menos dois mortos, 215 mil pessoas sem eletricidade e a suspensão total dos voos são algumas das consequências da forte nevasca que atinge hoje Washington e seus arredores, batizada pelo próprio presidente Barack Obama como Snowmaggedon.

EFE |

As autoridades declararam situação de emergência na capital e nos estados de Virgínia, Maryland, Delaware e Virgínia Ocidental. Segundo o prefeito de Washington, Adrian Fenty, os serviços de emergência estão totalmente mobilizados para enfrentar a tempestade. "(A nevasca) está trazendo uma quantidade de neve como nenhum de nós tinha visto aqui na vida", comentou.

O governador de Maryland, Martin O'Malley, declarou ao diário "The Washington Post" que "será a maior tempestade de neve da história do estado".

Em tom de brincadeira, Obama chamou o fenômeno de "Snowmageddon" (armagedon de neve), em alusão à batalha que, segundo a Bíblia, marcará o fim dos tempos.


Homens tentam empurrar carro em Washington, DC / Reuters


Os aeroportos da capital americana estão abertos, embora todos os voos estejam suspensos. O sistema de ônibus não funciona e o metrô mantém o serviço reduzido a estações subterrâneas.

A nevasca, que se estenderá até a noite de hoje, já causou vários acidentes de trânsito e derrubou diversas árvores. Na Virgínia Ocidental, o governador Joe Manchin mobilizou a Guarda Nacional para ajudar a liberar as estradas.

Alguns hospitais em áreas um pouco distantes da capital pediram a ajuda de donos de veículos 4x4 para o transporte de médicos e enfermeiras.

As autoridades pediram às pessoas que não deixem suas casas a menos que haja uma situação de emergência, de modo a não atrapalhar os trabalhos das equipes de limpeza e ajuda.

Segundo o Departamento de Transporte da Virgínia, as ruas residenciais do subúrbio podem ficar impróprias para a circulação até meados da semana.

A previsão pode piorar, já que os serviços de meteorologia preveem uma nevasca para a terça-feira.

Até o momento, a neve causou a morte de duas pessoas. Um homem e seu filho foram atropelados na Virgínia por um trator que deslizou no gelo. As autoridades receberam alertas sobre vários acidentes de trânsito nessa área.

As ruas de Washington, no entanto, estão praticamente desertas de veículos, perante o aviso das autoridades e também ao fato de que grande parte dos carros está totalmente debaixo da neve.

Getty Images Bicicletário coberto por neve em Washington
Bicicletário coberto por neve em Washington

Segundo as companhias elétricas locais, em torno de 215 mil pessoas estão sem luz em Washington e nos estados que o cercam. O número pode aumentar nas próximas horas devido ao vento e à acumulação de neve nos fios.

Até o momento entre 28 e 50 centímetros de neve caíram na região da capital e espera-se que, até o fim da tempestade, o número supere 70 centímetros em vários pontos.

No aeroporto de Washington-Baltimore caíram cerca de 70 centímetros de neve, a maior quantidade já registrada nessas instalações.

No aeroporto Ronald Reagan, o mais próximo ao centro da capital, a precipitação rondava 40 centímetros.

Como não poderia ser diferente, até o presidente americano não conseguiu escapar dos efeitos da nevasca. Quando se dirigia ao centro da capital, uma ambulância que sempre acompanha Obama derrabou e atingiu outros carros da comitiva presidencial.

Leia mais sobre nevasca

    Leia tudo sobre: nevasca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG