Sem água benta? Igrejas japonesas tomam medidas para evitar H1N1

TÓQUIO (Reuters) - Os católicos de Tóquio terão de se benzer sem água benta após as igrejas do país terem decidido tomar providências para combater o surto da gripe H1N1. A Capela Central Franciscana é uma das igrejas que decidiu esvaziar as bacias de água benta, nas quais os fiéis tradicionalmente mergulham seus dedos e se benzem ao fazer o sinal da cruz.

Reuters |

A igreja, que é frequentada em sua maioria por expatriados em um país com apenas 0,4 por cento de católicos, também pediu às pessoas para se cumprimentarem apenas se curvando, em vez de darem as mãos, como uma forma de reduzir o risco de infecção.

"Nós temos uma concentração internacional, as pessoas vêm de muitas nações do mundo, e o risco é maior do que em outras situações", disse Callistus Sweeney, padre na Capela Central Franciscana.

A igreja manterá as medidas, que são recomendadas pela arquidiocese de Tóquio, "até o perigo acabar", disse ele.

O Japão presenciou uma onda recente no número de casos de gripe H1N1 e confirmou três mortes causadas pela doença na semana passada.

O vírus causou a primeira pandemia do século 21, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), e deve piorar quando o outono chegar ao hemisfério norte.

Sweeney diz que tem visto uma reação positiva às medidas tomadas, entra eles que os sacerdotes precisam lavar suas mãos com toalhas desinfetantes antes de distribuir a hóstia.

A igreja de Santo Ignácio, outra em Tóquio com um grande número de frequantadores internacionais, também proibiu a água benta por enquanto e disse que pode considerar tomar outras medidas se necessário para ajudar a prevenir a expansão da gripe.

(Reportagem de Chris Gallagher)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG