Seis potências do Conselho da ONU confirmam sanções contra Irã

Ministros das Relações Exteriores dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, mais a Alemanha, confirmaram nesta sexta-feira novas sanções contra o Irã, por se negar a pôr fim a seu programa nuclear, decisão tomada durante uma reunião surpresa, em Nova York, informou o chanceler russo, Serguei Lavrov.

AFP |

"A Rússia apóia os pedidos anteriores feitos ao Irã. Consideramos que a não-proliferação é uma questão de grande importância e confirmamos todas as decisões anteriores", declarou o ministro russo, insistindo em que "nossa intenção é confirmar todas as decisões anteriores em um novo projeto de resolução".

O chefe russo destacou ter participado do encontro para mostrar a importância que a Rússia dá ao assunto.

Os chanceleres de Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Rússia, China e Alemanha concordaram em tranqüilizar o restante do mundo sobre a preferência pela opção diplomática - e não militar - frente ao Irã, após o cancelamento, a pedido de Moscou, de uma reunião similar prevista para ontem.

Na quinta-feira, os ministros deveriam, segundo Washington, "explorar" novas sanções contra Teerã mas Moscou se recusou a participar.

Hoje, então, os ministros acertaram um rascunho de um texto de resolução sobre o Irã nessa reunião não programada. O projeto redigido nesta sexta não incluirá novas sanções, mas reafirmará as precedentes.

Os ministros "apresentarão hoje (sexta) uma curta resolução, reafirmando as resoluções existentes (...) e nossa determinação de prosseguir com a dupla estratégia (sanções e estímulos)", declarou o chanceler britânico, David Miliband.

Os seis países querem mostrar sua "determinação de fazer essa estratégia avançar por meio de novas discussões e novas medidas", acrescentou Miliband, poucas horas depois da reunião surpresa do grupo, em paralelo à Assembléia-Geral da ONU.

O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, comemorou o acordo, que classificou de "manifestação importante de unidade frente ao Irã" e destacou que o projeto não descarta futuras sanções.

"A posição da comunidade internacional continua sendo, em primeiro lugar, que estamos prontos para cooperar com o Irã, mas, em segundo lugar, apenas se o Irã cumprir suas obrigações frente à comunidade internacional", frisou.

"Se não fizer isso, estamos prontos para ir em outra direção, possivelmente para novas sanções. O que é chave, porém, é que somos capazes de percorrer o caminho juntos, como o grupo dos Seis", avaliou o diplomata alemão.

Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG