Seis pessoas provenientes de Brasil, Venezuela, Porto Rico e Colômbia foram detidas em Trinidad e Tobago por motivos de segurança nacional, pouco antes da abertura, nesta sexta-feira, da 5ª Cúpula das Américas, informou a polícia.

O comissário James Philbert disse a jornalistas que "duas mulheres e quatro homens" foram detidos quando realizavam seus trâmites de imigração no aeroporto de Piarco, que serve a Port of Spain.

Os seis, segundo a polícia, estão relacionados ao grupo "O grito dos excluídos", com sede em Porto Rico e pretendiam manifestar durante a Cúpula que reunirá líderes de 34 países, entre eles o presidente americano, Barack Obama.

Philbert destacou ainda que uma sétima pessoa, o porto-riquenho Alberto de Jesús Mercado, foi proibido de entrar na ilha.

"Mercado, de 51 anos, tem um longo histórico de ligação com manifestações e protestos em diversas partes do mundo e, por isso, não foi autorizado a entrar", indicou.

As autoridades reforçaram as medidas de segurança em torno do complexo formado pelo centro de negócios e a torre do Hyatt, na área do porto da capital.

As operações estão sendo realizadas em conjunto por agentes policiais de outros países do Caribe como Jamaica, Belize, Barbados e Suriname aos quais se somam forças de segurança de países participantes como Estados Unidos e Brasil.

hov/lm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.