Seis detidos pelo assassinato de líder estudantil na Venezuela

Seis pessoas foram detidas pelo assassinato a tiros em 1º de outubro do dirigente estudantil venezuelano Julio Soto na cidade de Maracaibo (oeste de Caracas), informou o ministro do Interior, Tarek El Aissami, esta sexta-feira.

AFP |

Também foi apreendida a arma de fogo usada para disparar contra o estudante.

Julio Soto era presidente da Federação de Centros Universitários da Universidade de Zulia, uma das mais importantes do país, e militava no partido opositor Copei (democrata-cristão).

Dos seis detidos, três trabalham na divisão de inteligência do Exército e outro funcionário da polícia científica.

O dirigente estudantil foi assassinado quando o carro em que circulava pelo centro de Maracaibo foi interceptado por dois ou mais pessoas, que abriram fogo.

A polícia considerou que o ocorrido tem características de crime mandado, embora tenha enfatizado que investigará todas as hipóteses.

nn/bl/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG