Sete seguranças sul-africanos que estavam em Mumbai para proteger os jogadores de um torneio de cricket se transformaram em verdadeiros heróis nesta quinta-feira, ao salvar cerca de cem hóspedes de um dos hotéis atacados por terroristas em Mumbai, na Índia.


"Ouvimos disparos, fechamos o restaurante e levamos todo mundo para a cozinha", relatou nesta quinta-feira à AFP Faisul Nagel, um dos sete agentes de segurança sul-africanos que viveram cinco horas de angústia antes de conseguir evacuar, sãos e salvos, aproximadamente cem hóspedes do hotel Taj Mahal, um dos alvos dos terroristas nos atentados coordenados de quarta-feira, que deixaram pelo menos 125 mortos.

Nagel e seus companheiros jantavam no restaurante do 25º andar do Taj Mahal, bem ao lado da parte antiga do hotel, quando de repente "ouvimos estampidos surdos e vimos como as pessoas corriam em todas as direções", contou.

"Então nos demos conta que se tratava de um ataque terrorista", explicou o segurança, entrevistado por telefone pela AFP de Johannesburgo.

O restaurante tem muitas janelas e portas de vidro, motivo que levou os seguranças a decidir pela cozinha como refúgio para os hóspedes que estavam no local. Lá, construíram trincheiras com o que havia à mão, como mesas e congeladores.

"Apagamos as luzes do restaurante para criar um efeito surpresa e nos posicionamos em todas as entradas da sala, vigiando os elevadores, que não paravam de subir e descer", continuou Nagel.

"Ficamos à espera, para o caso de alguém subir. Ninguém veio, mas havia muito barulho, ouvimos uma explosão e disparos de armas automáticas", lembrou o agente, que trabalha na divisão de esportes da firma de segurança privada sul-africana Nicholls Steyn and Associates.

"Nas primeiras horas foi difícil descobrir o que estava acontecendo", destacou o diretor da companhia, Bob Nicholls, que também estava no Taj Mahal na hora dos atentados.

Depois de algum tempo, os seguranças entrincheirados no restaurante finalmente conseguiram entrar em contato com o responsável pela segurança do hotel. Diante do risco de que o incêndio que começou na parte antiga do Taj Mahal se propagasse para o restaurante, eles decidiram evacuar os hóspedes.

"As pessoas estavam com muito medo. Explicamos a eles o que íamos fazer", disse Nagel. "Pedi ao responsável pela segurança do hotel que pedisse à polícia que não disparasse. Evacuamos todo mundo, sem fazer o menor ruído, pela escada de segurança da parte traseira do hotel", explicou.

No grupo de hóspedes havia uma senhora idosa, de 90 anos de idade, que foi carregada pelos agentes sentada em uma cadeira pelos 25 andares de escada.

Leia também:


Leia mais sobre: Mumbai

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.