Segurança de Elizabeth II é condenado por esquema de apostas

Londres, 30 jul (EFE).- Um ex-guarda-costas da rainha Elizabeth II foi condenado hoje a seis anos de prisão por uma fraude de 3 milhões de libras (3,5 milhões de euros) relacionada com uma companhia imobiliária fantasma que servia de disfarce para uma operação de apostas.

EFE |

Paul Page enganou 57 pessoas, incluindo parentes, amigos e colegas, para financiar uma vida de luxo e uma dependência ao jogo, segundo os depoimentos escutados durante o julgamento no Tribunal de Southwark, sul de Londres, que hoje emitiu a sentença.

Algumas das vítimas de Page, que tem 38 anos e cometeu o crime do qual é acusado entre 2003 e 2006, não só perderam as casas e grandes quantidades de dinheiro, mas viram seus casamentos arruinados.

Durante o processo, o réu, que negou as acusações, chegou a alegar que funcionários da Polícia destinados no Palácio de Buckingham, residência oficial da rainha em Londres, se dedicavam a diversos excessos e atividades criminosas durante a noite.

Em vez de proteger o palácio contra eventuais intrusos, os guardas de segurança de Elizabeth II supostamente faziam apostas, vendiam pornografia, ficavam embriagados e comercializavam esteróides, além de posar sentados no trono real, segundo Page.

Os funcionários também introduziram em várias ocasiões os amigos em festas de palácio às quais não tinham sido convidados, e permitiram que parassem os carros nos estacionamentos de palácio durante suas visitas a Londres.

A Procuradoria rejeitou essas alegações ao qualificá-las de meras "táticas de distração". EFE pa/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG