Segurança assassinou diretores de companhia em Cabul, segundo ministério

Cabul, 26 out (EFE).- O duplo assassinato de dois diretores estrangeiros da companhia DHL este sábado, em Cabul, foi obra de um de seus guardas de segurança, que se suicidou em seguida, informou hoje o Ministério do Interior afegão.

EFE |

A investigação concluiu que o guarda atirou no diretor e no subdiretor da companhia DHL em Cabul e depois se suicidou com um tiro no pescoço, segundo o porta-voz do Ministério do Interior, Zemarai Bashary.

O ministério deteve 13 pessoas em relação ao caso, mas depois elas foram colocadas em liberdade.

Os investigadores ainda não determinaram o motivo do crime, ocorrido em frente aos escritórios da companhia em Cabul, perto do palácio presidencial e em uma zona onde moram muitos estrangeiros.

As vítimas fatais - além do segurança - são um britânico e um sul-africano que desempenhavam os cargos de diretor e subdiretor da DHL no Afeganistão.

Em um primeiro momento, a Polícia afirmou que tanto eles quanto o guarda de segurança foram baleados por um grupo de pistoleiros que fugiram em um veículo.

Este é o segundo tiroteio com vítimas estrangeiras na última semana, depois da morte na segunda-feira passada de uma cooperante sul-africana que ia ao trabalho.

A mulher, que trabalhava em uma ONG de ajuda a deficientes, recebeu vários tiros na cabeça no leste de Cabul disparados por dois motoristas. EFE lo/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG