Segundo dia de protestos estudantis em Bangladesh deixa pelo menos 50 feridos

Nova Délhi, 11 mai (EFE).- Pelo menos 50 pessoas, entre elas 26 policiais, ficaram feridas hoje no segundo dia consecutivo de confrontos entre as forças de segurança e estudantes em Bangladesh, que protestavam contra a morte de um de seus companheiros, atropelado por um ônibus.

EFE |

Segundo o jornal bengalês "Daily Star", os confrontos entre estudantes do Instituto Politécnico de Daca e as forças de segurança começaram por volta das 9h local (0h de Brasília) e se prolongaram por várias horas.

A Polícia usou gás lacrimogêneo para dissipar o protesto e deu tiros com balas de borracha contra os manifestantes, que responderam jogando pedras contra os agentes.

Além disso, grupos de estudantes subiram nos telhados dos prédios, e jogaram pedras e pedaços de tijolos nas forças de segurança, segundo o "Daily Star".

O Instituto Politécnico de Daca suspendeu as aulas por tempo indeterminado e fechou o dormitório, com o objetivo de evitar mais episódios de violência.

Na sexta-feira, um estudante do instituto morreu atropelado por um ônibus em frente ao centro estudantil, o que motivou a indignação de seus companheiros, que foram às ruas protestar de forma imediata.

Neste sábado, os estudantes tomaram as ruas, em uma manifestação que terminou em choques com a Polícia, nos quais houve mais de cem feridos.

Entre as reivindicações dos estudantes está a exigência de uma indenização da vítima fatal, a instalação de sistemas que obriguem os motoristas a reduzir a velocidade na rua do instituto e a proibição de circulação de veículos pesados.

Bangladesh está em estado de exceção desde 11 de janeiro de 2007, quando o presidente bengalês, Iajuddin Ahmed, suspendeu as garantias constitucionais, alegando a onda de violência política em plena campanha eleitoral. EFE mb/wr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG