Seguidora de Charles Manson é solta, após 3 décadas na prisão

Los Angeles (EUA), 14 ago (EFE).- Lynette Fromme, uma das seguidoras do criminoso Charles Manson, saiu hoje da prisão após mais de três décadas presa por apontar uma arma para o ex-presidente dos Estados Unidos Gerald Ford, informou a imprensa local.

EFE |

Esta ativista do sangrento grupo liderado por Manson, "Família Manson", passou os últimos anos de sua pena reclusa em um centro médico federal em Fort Worth, Texas, especializado em presos com problemas mentais.

Lynette, de 60 anos, foi detida em setembro de 1975 em Sacramento, Califórnia, quando tinha 26 anos, depois que em uma visita do presidente Ford à cidade ela tentou abrir passagem entre a multidão e parar em frente a ele com uma arma semiautomática de calibre 45.

Segundo declarou posteriormente a acusada, sua intenção era simplesmente chamar a atenção do presidente, e os serviços de segurança confirmaram que a pistola não estava preparada para disparar, embora tivesse um cartucho de munição.

Lynette foi sentenciada à prisão perpétua em virtude da lei federal criada para os casos de ataques aos presidentes após o assassinato em 1963 de John F. Kennedy.

No entanto, a seguidora de Manson obteve o direito de ficar em liberdade condicional em 2008 por boa conduta e após cumprir outros 15 meses mais de sentença por uma tentativa de fuga em 1987.

A "Família Manson" foi responsável pelos atrozes assassinatos há 40 anos da atriz Sharon Tate, mulher do cineasta Roman Polanski, e vários de seus amigos em Los Angeles, crimes que aterrorizaram os bairros luxuosos da cidade californiana e transformaram Manson no "homem vivo mais perigoso", segundo a imprensa.

Lynette não participou daqueles ataques. EFE fmx/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG