Os bombeiros retomaram nesta quarta-feira as buscas pelas vítimas das chuvas que castigam o estado do Rio de Janeiro desde a segunda-feira, após a confirmação de 102 mortes e 106 feridos e em meio ao temporal intermitente que dificulta o trabalho de resgate.

Segundo o Corpo de Bombeiros, após a suspensão dos trabalhos, todas as equipes de resgate retornaram às ruas na primeira hora desta quarta-feira e estão concentradas nos locais em que ontem havia dificuldades de acesso.

As buscas estão concentradas principalmente em Niterói, a mais afetada pelos temporais e pelos deslizamentos de terras que já destruíram dezenas de casas, cidade em que o número de desaparecidos chega a 47.

Apesar das chuvas continuarem durante toda a noite, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou que a situação está melhor que na véspera, mas que ainda há muitas ruas bloqueadas por deslizamentos e inundações.

Apesar de as escolas e as universidades terem suspendido novamente as aulas, o prefeito, que ontem havia recomendado à população permanecer em casa, disse que as pessoas que as pessoas que precisem sair já podem fazer nesta quarta-feira, porém ainda com bastante atenção.

"Nossa principal preocupação continua sendo a possibilidade de deslizamentos em áreas de risco. Seguimos em alerta máximo e mantemos nosso pedido para que as pessoas que vivem nessas áreas busquem refúgio em casas de familiares e abrigos da Prefeitura", disse Paes.

A grande maioria das vítimas morava em bairros pobres construídos em áreas montanhosas consideradas de risco.

Pelos dados do Corpo de Bombeiros, além de Niterói, com 53 mortos, e do Rio de Janeiro, com 37 vítimas, as cidades mais afetadas foram São Gonçalo (9), Nilópolis (1), Petrópolis (1) e Paracambi (1).

Os temporais da segunda-feira e terça-feira foram considerados os maiores que já atingiram o Rio de Janeiro em 40 anos e os meteorologistas disseram que o volume de água que caiu em 12 horas é o dobro do esperado para o mês de abril.

Com o recorde de volume de água que caiu na terça-feira, as principais vias foram inundadas, paralisando a maior parte cidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.